Projectos de Pesquisa
  1. DINÂMICAS DE POPULAÇÃO E PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO SOCIOECONÓMICO

    Moçambique é um dos países com elevado crescimento populacional (2.6%) no mundo. A sua taxa de fecundidade de cerca de 6 filhos por mulher é das mais elevadas do mundo e o processo da transição demográfica ainda está na sua fase inicial. Nos últimos anos Moçambique tem estado a adoptar políticas e programas com potencial para influenciar a dinâmica demográfica e ter impacto no processo de desenvolvimento socioeconómico do país. O país adoptou a sua primeira política de população em 1999 e várias outras políticas e programas, sobretudo na área de saúde, foram adoptadas com o objectivo de influenciar as variáveis demográficas. No entanto, apesar de consideráveis melhorias, sobretudo em termos de redução da mortalidade materna e na infância, os indicadores de população e saúde continuam dos mais pobres do mundo. Este projecto investiga os factores da dinâmica demográfica, o tipo e impacto das intervenções político-programáticas nas dinâmicas de população e saúde e produz recomendações para a melhoria da saúde e bem-estar da população e para a materialização do dividendo demográfico, um possível ganho socioeconómico que pode resultar das alterações fundamentais na estrutura etária da população moçambicana.

    Pesquisadores envolvidos: Carlos Arnaldo, Rogers Hansine, Boaventura Cau

  2. CASAMENTOS PREMATUROS EM MOÇAMBIQUE

    Moçambique está entre os dez países do mundo com a mais elevada taxa de casamentos prematuros. Até aos 19 anos, metade das mulheres moçambicanas já estão casadas o que as expõe ao risco de uma gravidez precoce e suas consequências para a sua saúde e para s saúde da criança. Esta situação não é homogénea ao longo do país onde a região norte e as áreas rurais têm uma maior prevalência comparativamente as regiões centro e sul e as zonas urbanas, respectivamente. Este projecto usa dados dos censos de população e inquéritos, complementados por dados qualitativos recolhidos através de entrevistas individuais e de grupo para traçar o padrão geográfico e socioeconómico deste fenómeno e identificar os seus factores determinantes. Os resultados são usados para produzir recomendações para combater este fenómeno que caracteriza a sociedade moçambicana.

    Pesquisadores envolvidos: Carlos Arnaldo, Milton Sengo, Estevão Manhice e Milton Langa

  3. DESAFIOS DE SAÚDE SEXUAL E REPRODUTIVA EM MOÇAMBIQUE

    Este projecto utiliza as bases de dados de vários inquéritos demográficos e de saúde realizados em Moçambique para investigar os desafios de saúde reprodutiva em Moçambique e propor soluções para os mesmos. O maior enfoque do projecto está na pesquisa de barreiras económicas, sociais e culturais que afectam a utilização dos serviços de planeamento familiar por mulheres unidas e não-unidas em Moçambique, com destaque para os serviços de contracepção moderna e de consultas pré-natais. Este projecto também explora os determinantes da contracepção na adolescência e de utilização dos serviços de planeamento familiar pelos homens.

    Pesquisadores envolvidos: Boaventura Cau, Carlos Arnaldo e Estevão Manhice

  4. CONTEXTO SOCIOECONÓMICO, SAÚDE E BEM-ESTAR

    Desde o fim da guerra dos 16 anos há mais de 20 anos, Moçambique tem estado a registar transformações económicas e sociais cujas suas implicações na saúde e bem-estar da população ainda são insuficientemente exploradas. Este projecto procura usar as bases de dados relevantes (tais como os dados do barómetro de saúde realizado pelo CEPSA e os dados do afrobarómetro) para pesquisar a relação existente entre as condições socioeconómicas das pessoas e seus agregados e a sua saúde e bem-estar em Moçambique. Ao mesmo tempo, este projecto também explora a influência das desigualdades de género na família e na sociedade sobre a saúde e bem-estar das pessoas, particularmente as mulheres. A introdução desta última linha de pesquisa neste projecto baseia-se na constatação preliminar de que as desigualdades de género em Moçambique parecem ser uma variável interveniente importante nos desafios de saúde e bem-estar no país, especialmente para as mulheres.

    Pesquisadores envolvidos: Boaventura Cau, Carlos Arnaldo e Estevão Manhice

  5. CONTEXTO DA MIGRAÇÃO FAMILIAR E SUAS CONSEQUÊNCIAS PARA CRIANÇAS E ADOLESCENTES

    Este é um projecto de cinco anos (2015-2020) que envolve um grupo de pesquisadores de várias instituições dos Estados Unidos (Universidade Estadual de Arizona, a Universidade Estadual de Ohio, a Universidade de Kansas, a Universidade de Michigan e a Universidade Estadual de Pensilvânia) em colaboração com pesquisadores do Centro de Pesquisa em População e Saúde, em Maputo. O programa global de pesquisa é composto de três projectos inter-relacionados, que avaliam o papel da migração nas crianças e adolescentes, nas comunidades de origem. Os projectos visam, especificamente, obter uma melhor compreensão das concepções dos adultos sobre as competências sociais, as aspirações e expectativas de educação das crianças, e as transições para a vida adulta (por exemplo, relacionamentos românticos, a formação da família), em três contextos diferentes (México, Nepal e Moçambique). Ao concentrar-se em diferentes resultados e transições de desenvolvimento, os projectos se combinam para criar uma visão mais holística da migração na formação de ambientes familiares e oportunidades desde a infância até à transição para a vida adulta. Em Moçambique o projecto está e ser implementado na província de Gaza.

    Pesquisadores envolvidos: Ramos Muanamoha, Inês Raimundo e Carlos Arnaldo

Powered by keepvid themefull earn money